Meu humor



Meu perfil
BRASIL, Norte, RIO BRANCO, Bela Vis, Homem, de 15 a 19 anos, Portuguese, English, Cinema e vídeo, Música, Esforço mental constante pro bem ou mal
MSN - ymp_76@hotmail.com




Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Orkut
 Yuri Flog Novo
 Yuri Flog Velho
 Será mesmo ???
 Blog da Golby
 O Batelão
 Weird
 As Dopaminas
 Profundis
 Garotas que dizem ni
 Aleta Dreves
 Aleta Flog
 Flog de Jornalismo Ufac
 Balacobaco
 Turma de Jornalismo 2005
 Nynphomanoiden
 InVerso
 Tempestades Cerebrais
 Mentiras Perfeitas
 O Deputado Aprendiz
 Aqui Estamos
 Varadouro
 Astronauta de Mármore
 Angela Kitty
 Ufac
 Yahoo
 G Mail
 Notícias da Hora
 Comissão de Constituição e Justiça
 Assembléia Legislativa do Estado do Acre
 Turma Jornalismo 2005 Flog
 You Tube
 O que será dos 40 - WebFolhetim
 Manu Modesto




O Nexo ainda é uma questão de ponto de vista !
 


Change - Change - Change

Inconstância, desejo mesmo de mudar
É algo que afeta todo mundo, ou só alguns mentalmente perturbados?
Se for alguma deficiência preciso de um psiquiatra
Nos últimos tempos é assim que me sinto, com vontade de mudar
E estou mudando, não que sejam coisas radicais
Ok, algumas dessas mudanças talvez tenham sido um tanto radicais

Mas, o que conta nessa vida não é experimentar?
A busca pelo conhecimento, poder se ver de várias formas
Saber o que se pode fazer
O que se pode ser
e só assim se pode evoluir

Enfim, vou mudando pequenas coisas, preparado terreno para quando vierem as grandes
Sendo assim, vou mudar de endereço e esse é meu último texto aqui.
Fiquem com http://onexoeeu.blogspot.com ou http://fotolog.com/yurimarcelpr
E como mais da metade da população do orkut é brasileira lá tô eu também http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=8099716002170694379
Sem contar o msn ymp_76@hotmail.com
Valeu pelos últimos dois anos, beijos e abraços

http://youtube.com/watch?v=jbkysd9mQho

Proud – Orgulho
Heather Small (Queer As Folk Soundtrack)

Eu olho na janela da minha mente
Reflexos dos medos que deixei pra trás
Eu saio do ordinário
Eu posso sentir minha alma ascendendo
Estou em meu caminho
Nada pode me parar agora
E você pode fazer o mesmo

O que você fez hoje para se sentir orgulhoso?
Nunca é tarde para tentar
O que você fez hoje para se sentir orgulhoso?
Você pode ser muitas pessoas
Se você der aquele salto para a liberdade
O que você fez hoje para se sentir orgulhoso?

Ainda existem muitas respostas que eu não sei
Pense que perguntar é o que nos faz crescer
Então eu saio do ordinário
Eu posso sentir minha alma ascendendo
Estou em meu caminho
Nada pode me parar agora
E você pode fazer o mesmo

O que você fez hoje para se sentir orgulhoso?
Nunca é tarde para tentar
O que você fez hoje para se sentir orgulhoso?
Você pode ser muitas pessoas
Se você fizer aquela quebra para a liberdade
O que você fez hoje para se sentir orgulhoso?

Nós precisamos mudar
Faça isso hoje
Eu posso sentir meu espírito se elevando
Nós precisamos mudar
Faça isso hoje
Porque eu posso ver um horizonte brilhante

O que você fez hoje para se sentir orgulhoso?
Então o que você fez hoje para se sentir orgulhoso?
Porque você pode ser muitas pessoas
Se você der aquele salto para a liberdade
Então o que você fez hoje para se sentir orgulhoso?
O que você fez hoje para se sentir orgulhoso?
O que você fez hoje?
Você pode ser muitas pessoas
Apenas dê aquele salto para a liberdade

Escrito por Yuri Marcel às 17:39:49
[] [envie esta mensagem
] []






{O que ele diz quando se olha no espelho



"Um dia pretendo tentar descobrir pq é mais forte quem sabe mentir. Não quero lembrar que minto tbm"

Seu nome é Yuri Marcel, seu final de semana foi descrito como bom, divertido engraçado e surpreendente. Na verdade seus dias têm sido assim, apesar de alguns tropeços. Vc fez amigos novos, mas parece q a vida pede sempre um sacrifício e isso fez com que outros se afastassem.

Vc espera por algumas coisas, enquanto que já está trabalhando para desistir de outras.

Vc parece perdido e seu nível de autismo às vezes é ensurdecedor.

Existem músicas que te fazem gritar e pular, na verdade a euforia é seu melhor estado, é quando vc se sente vivo

Então eu pergunto: Como vc está?

Escrito por Yuri Marcel às 16:31:39
[] [envie esta mensagem
] []





{*I Just Don't Know What to do With Myself}

O Katrina passou e dessa vez eu disse, "Me leva".
É engraçado como as coisas acontecem.
Alguém pode passar anos dizendo q quer algo,
Esperando por uma oportunidade. Um dia da forma mais inusitada, ela vem.
O que será de mim?
Ele se pergunta, enquanto fecha os olhos se deixa levar pelo vento em busca das cores e histórias q nunca viu.
O que será de mim? Ele pensa com esperança de encontrar o seu lugar

*Música dos White Stripes q cabe perfeitamente aqui


Escrito por Yuri Marcel às 01:14:42
[] [envie esta mensagem
] []





{Runaway}

Quero sair pra comprar cigarros e só voltar depois de 10 anos, triunfante como Tieta voltando pra Santana do Agreste
Deixar tudo aqui e começar de novo, talvez até mudar de nome ser um Zé da Silva ou John Smith qualquer.
Ver o mundo, as pessoas, lugares e cores que nunca vi de perto.

Preciso nem ficar rico, claro que não vou reclamar se ficar, mas não preciso de muito
Tá legal, vou ter que aprender a diminuir frescuras que a vida na classe média me permitiu ter
Mas desde que eu consiga ser feliz e aprender todas as coisas que eu devo aprender
Para ser um eu melhor que o eu que eu sou hoje (...Nossa mais fácil falar a frase dos tigres que essa...)
Tudo será Absolutamente Fabuloso.

=D

Escrito por Yuri Marcel às 19:33:04
[] [envie esta mensagem
] []





Testamento

Quando eu morrer façam uma festa.
Mas não uma reunião simples. Façam uma festa de arromba.
Toquem as músicas que gostei, riam das coisas que fiz.
Podem até chorar, mas que seja de felicidade porque eu existi.

E assim vou viver para sempre!!!

Escrito por Yuri Marcel às 16:50:41
[] [envie esta mensagem
] []





Em busca da Inspiração 

Ok, ok, eu sei que deveria atualizar esse blog com mais freqüência, mas a inspiração é um troço engraçado mesmo.

Eu até tinha um texto para publicar, mas como diria o Chaves: "Me escapuliu"

Chaves, esse sim é um grande filósofo, embora seja quase sempre desmerecido por aqueles que desejam ser intelectuais.

Mas, pense na profundidade de uma frase como: "Prefiro morrer do que perder a vida", afinal quantas pessoas passam a vida sem ter realmente vivido, essa frase demonstra que ele não é um sujeito conformista.

Mais profundo ainda é a história do menino que tal qual Dom Quixote passou a vida procurando por algo impossível, no caso, ganhar sua bola quadrada.

É por essas e outras, que neste mundo onde os heróis morreram de overdose e os inimigos estão no poder, meu verdadeiro herói e muso inspirador é e sempre será Chaves

"Foi sem querer querendo"



Escrito por Yuri Marcel às 19:50:38
[] [envie esta mensagem
] []





1987

Então 20 anos se passaram. E o que aprendi nesse tempo?

Bem, além de amarrar os cadarços, escovar os dentes, ler e escrever (... acho). Aprendi que se não falar com estranhos, eles nunca deixarão de ser estranhos e que mesmo pessoas conhecidas podem passar a vida como estranhas.

 

Aprendi que não se faz amigos, eles simplesmente aparecem quando e de onde você menos espera, tanto que os inimigos de hoje podem ser as primeiras pessoas a te desejar muitos anos de vida no dia seguinte, assim como os “amigos” que podem ser tornarem indesejados. É tudo uma questão do quanto você conhece e se permite ser conhecido. 

 

Descobri que da mesma forma que posso me sentir magoado, posso magoar alguém e que sempre será alguém que gosta de mim. Nesse caso eu preciso saber quando e o quanto eu posso pedir desculpas.

 

Hoje sei que eu vou chorar, fazer alguém chorar, vou rir e fazer alguém rir. Porque tudo isso é importante para aprender alguma coisa que na hora eu não vou saber o que é, mas um dia vou entender.

 

Aprendi que um ano tem 365 dias e que apesar de não parecer de vez em quando, esses dias passam rápido, tanto que já faz 20 anos desde que eu vi esse mundo pela primeira vez.

 

À todos que eu aprendi a amar nesses anos todos.

 

 

 



Escrito por Yuri Marcel às 13:30:51
[] [envie esta mensagem
] []





O Estranho Ano de Yuri parte II – São 12 os meses do ano

 

 

Agora falta pouco pro ano acabar e eu sei que o que vou fazer agora não é uma idéia original, mas como é fim de ano eu posso fazer uma retrospectiva de um ano que foi pra lá de estranho.

 

Janeiro - Primeiro mês do ano. Auge do verão, época de férias, liquidações. Tudo são flores em Janeiro certo?

Bem, só se for pra você, porque desde que eu me entendo por gente, meu começo do ano é quase sempre é desastroso. E para não fugir da regra 2006 começou com um presente, depois de quase seis meses de greve, minhas aulas na universidade começaram no dia dois e eu não pude viajar. De bônus ganhei ainda um período dividido em blocos.

Ponto positivo de Janeiro: Fiz novos e reencontrei velhos amigos.

 

Fevereiro – Sobrevivendo a Janeiro, a tendência é que as coisas melhorem no mês seguinte, apesar do período em blocos continuar. Para quem não sabe esse é o mês do meu aniversário e esse ano consegui ganhar minha primeira festa surpresa, na verdade eu ganhei não uma, mas duas festas.

Ponto festivo de Fevereiro: Consegui não odiar o Carnaval e até me divertir

 

Março e Abril – O ano começa mesmo em março e foi aqui que a minha saga de estranhezas começou. Embora eu me considere anti-social sempre tive certa facilidade em fazer com que as pessoas gostem de mim (ou não), mas daí a uma recém-conhecida colega de trabalho com 30 anos, três filhos e ex-namorados brincando de traficantes e presidiários, já é demais pra qualquer Don Juan.

O problema não estava nem no fato de ela pesar mais de 100 kg contra meus 68 kg, mas eu aos 19 parecia ser mais velho que ela (na cabeça, faz favor).

Pelo menos em abril teve a páscoa e eu tive uma desculpa pra me encher de chocolate. Se bem que eu nunca precisei de desculpa, mas ovo de páscoa tem gosto especial.

Ponto chocante de Março e Abril: Eu já falei que ela tinha 30 anos, três filhos e quase 10 kg?

 

Maio – Finalmente acaba o período em blocos na Universidade e em resumo posso dizer que foi um período perdido. Tudo bem que eu ajudei ele a se perder ficando “super-interessado” nas aulas, mas depois de um tempo fica insuportável assistir as mesmas três matérias todos os dias durante dois meses e meio.

Ponto final de maio – O período blocado foi sem fazer falta.

 

Junho – Aqui a coisa complicou, quando o bi ângulo amoroso (ou não) se transformou em um triângulo amoroso. (E eu que sempre me achei feio, estranho e sem graça). Pra piorar uma das peças do triângulo mora longe só pra dificultar

Ponto alto de junho – Ah, por favor, foi o primeiro caso desses da minha vida, mesmo que tenha sido uma loucura.

 



Escrito por Yuri Marcel às 01:37:09
[] [envie esta mensagem
] []





Julho – levei um bolo de uma visita que não veio, mas pelo menos consegui me livrar da moça obsessiva (e eu descobri depois, estelionatária). E julho, que nos bons tempos significava férias e shows legais no Parque de Exposições, virou um pesadelo. Não tive férias, a Expoacre não teve um show decente e foi aqui que eu tive o prelúdio da Guerra Civil que viria nos meses seguintes.

Ponto baixo de julho – Prelúdio da Guerra Civil, por isso que às vezes é melhor morrer na ignorância.

 

Agosto, Setembro e Outubro – Agosto, mês do desgosto; Setembro, mês dos atentados ao World Trade Center; e Outubro, mês das bruxas, mas já deu pra sentir o drama.

Dúvidas, possíveis traições, surtos psicóticos e depressivos, “amigos” nos humilhando publicamente, tudo aconteceu aqui.

Ponto Ridículo de Agosto, Setembro, Outubro – O tal “amigo” que resolveu fazer escândalo por aí dizendo que era meu amigo. (Pelo menos pude me livrar dele).

 

Novembro – Um mês estranho muito estranho. Logo após o Dia das Bruxas e de Finados começou, afinal, a Guerra Civil. Troca de e-mail’s bomba, acusações, múltiplas verdades e mentiras. Alianças inusitadas sendo formadas. E muitas pessoas machucadas.

Ponto realmente estranho de Novembro – Novembro foi mês de Guerra, eu acabei me afastando de alguns amigos. Apesar disso, nas cinzas na Guerra eu acabei fazendo novos amigos. Alguns bem especiais igualzinho o começo do ano.

 

Dezembro – E finalmente o ano acabou. Esse ano meu espírito natalino quase não veio e quando chegou não teve a mesma força dos anos anteriores. Curiosamente, creio que tive meu primeiro milagre de natal, quando acreditei que a Guerra Civil havia queimado tudo, um amigo voltou das cinzas.

Ponto de interrogação – Não sei o que vai acontecer no ano que vem, alguém me disse que acha que vai acontecer algo, não sei o que é, mas só espero que seja apenas um Feliz Ano Novo!!!

 



Escrito por Yuri Marcel às 01:35:50
[] [envie esta mensagem
] []





O Estranho Ano de Yuri

 

 

Então é Natal e lá vem a Simone fazer o John Lennon se revirar no túmulo perguntando o que você fez.

 

Bem, para mim 2006 foi um ano estranho, não tão estranho ruim como 2005, mas um estranho bom e um estranho simplesmente estranho na maioria das vezes.

 

Fiz um bocadinho de amigos novos, mas me afastei de alguns deles, assim como de alguns velhos amigos, selei alianças estranhas, que não sei onde me levarão, mas me deixam apreensivo.

 

Em algum momento consegui fazer as pazes entre dois lados do meu cérebro, aí pude me livrar de alguns demônios e até mesmo de “fantasmas vivos” do passado.

 

Apesar de ter me ajudado a paz durou pouco e agora vivo na encruzilhada sendo tão insensível quanto sensível

 

Deixei algumas coisas para trás, coisas que eu nem acreditava que sentiria tanta falta, mas que realmente estão fazendo falta.

 

2007 vem aí, não sei o que vai acontecer, justamente por ser a continuação de um ano que foi tão estranho. Um amigo me disse que não gosta de anos ímpares, eu só espero que ele esteja errado e que seja realmente um Feliz Ano Novo!!!

 

 



Escrito por Yuri Marcel às 18:16:02
[] [envie esta mensagem
] []





O direito a dor

 

Você sabe que está errado, mas não fala, por medo de se envolver.

Não fala para evitar causar dor, como alguém que enrola para arrancar o band-aid de uma ferida aberta.

 

Só que aí vem a pergunta: “Será que, por se omitir, você não é tão mau quanto à história toda?”.

 

Dizem que a dor é necessária. Então que direito alguém tem de privar outra de dela (Essa última questão é uma variação do pensamento de Nietzsche).

 

Será que na verdade, quando você pensa que quer evitar que alguém sinta dor, está apenas tentando fugir da sua responsabilidade e evitar que você próprio sinta dor?

 

Porque é tão difícil falar a verdade que todos dizem querer saber, mas no fundo temem?

 



Escrito por Yuri Marcel às 17:47:35
[] [envie esta mensagem
] []





{Eu, o distúrbio}

Sou fruto de um distúrbio chamado vida, por isso mesmo não consigo entender qual o problema que algumas pessoas vêem nisso, afinal, todo mundo é.



Escrito por Yuri Marcel às 18:47:14
[] [envie esta mensagem
] []





Hoje sentei aqui e decidi escrever...

 

Lá fora está frio e eu gosto disso. Contrasta com calor que sinto aqui dentro.

O “choque térmico” ativa minhas sinapses cerebrais e faz com que eu pense no que gostaria de estar fazendo.

 

Talvez tomar sorvete, andar e conversar, rir.

Talvez ficar em casa, deitado, assistindo TV.

 

Não me importa o programa, tudo que quero é abrandar a chama da criação, que olhou pra mim me deixou carregado.

 

 



Escrito por Yuri Marcel às 21:47:08
[] [envie esta mensagem
] []





Paredes

 

Essas paredes me oprimem e sempre foi assim

Mas antes não podia resistir, tinha medo de perder a “proteção” que elas me ofereciam.

Assim, fui levado quase ao limite da minha personalidade claustrofóbica

Sempre apertado, sempre silenciado, quando queria gritar.

Isso é o que fez crescer e desejar que as paredes viessem abaixo

Hoje, não sei para onde irei se a casa cair, mas não tenho mais medo, pois o mundo externo já se tornou mais acolhedor que esse, entre quatro paredes com tinta gasta.



Escrito por Yuri Marcel às 22:37:06
[] [envie esta mensagem
] []





 

A Banda e “nóis”

 

Sinceramente até hoje nunca havia me dado conta de como passeatas e afins atrapalham a vida das pessoas (principalmente se elas forem realizadas em uma manhã durante a semana).

 

Não havia percebido porque (E agora tenho vergonha disso) sempre estive no meio dessas bagunças ou ocupado fazendo outra coisa bem distante delas.

 

Hoje passei quase meia hora preso no trânsito, assim como milhões e milhões de pessoas (bem, talvez, não fossem milhões e milhões, mas era um bocado de gente). Gente que provavelmente tinha muitos compromissos e horários, que deve ter perdido a hora no médico ou no trabalho, como foi meu caso.

 

E tudo isso pra quê? Para que um monte de pessoas que, provavelmente faltaram ao trabalho, pudesse fazer apologia a um candidato (Não importa qual o partido do indivíduo). Na verdade todos esses movimentos, mesmo os bem intencionados, inclua aí a Banda da música do Chico Buarque, devem ter causado transtornos gigantescos a quem tinha compromisso na hora em que ela passou cantando coisas de amor.

 

Por isso o Tribunal Eleitoral deveria proibir essas passeatas, carreatas e afins e voltar a permitir as camisetas (que servem como pijama) e os broches, porque proibir isso não adianta muito (Já que não é assim que se compram votos).



Escrito por Yuri Marcel às 16:32:24
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]